A copa e a migração IV

Quem tem direito ao passado?

Em geral, quem fala mais alto, claro. O caso da ex-Iugoslávia é exemplar.

Deu origem a vários países, depois de um processo terrível de separação. Sérvia, Eslovênia,Montenegro, Croácia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia.

Hoje, na copa, jogaram a Eslovênia (contra Argélia) e a Sérvia (contra Gana). Mas apenas a Sérvia tem o direito, segundo a FIFA, a adotar as estatísticas da Iugoslávia. Assim, a Sérvia aparece como continuação da Iugoslávia, mas as demais nações não. Para os outros países, a estatística nasce com a sua “fundação”.

A Sérvia não, ela nasce como uma continuidade. É como se fosse o que restou da Iugoslávia.

Os jogadores não-sérvios que participaram da história da seleção Iugoslávia foram “perdidos” para o que viriam a ser seus respectivos novos países.

É como os ucranianos que jogaram pela seleção Soviética foram perdidos para os Russos, que herdaram a estatística soviética.

No futebol, os números são o passado e a hegemonia.

bandeira da Iugoslavia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s